Dicas para Abrir um E-commerce (Loja Virtual)

Navegin
Navegin

Se você está pensando em abrir um E-commerce, mas ainda desconhece do seu potencial de vendas? Este artigo é para você.

Conteúdo

Dicas para Abrir um E-commerce
Entenda a importância de Abrir um E-commerce para sua loja!

De todas as transformações que o mundo dos negócios passou nas últimas décadas, certamente a do e-commerce foi uma das mais revolucionárias. E é também uma das mais promissoras para qualquer tipo de negócio.

O e-commerce nada mais é que o comércio eletrônico, também conhecido como comércio virtual (ou mesmo como a modalidade de venda não-presencial). Com a presença crescente dos computadores e smartphones em nossas vidas, ele aumenta cada vez mais.

No início esse tipo de transação era operada por meio de equipamentos eletrônicos, o que gerava certa desconfiança. Mas com o tempo e o avanço dos meios de segurança, o estilo se provou e se estabeleceu como algo normal.

De fato, o segmento cresceu, só no Brasil e no último período, mais de 20%, e já chega a representar o equivalente a cerca de 10% do varejo nacional, o que não é pouco. Os dados são da Abradi-SP (Associação Brasileira dos Agentes Digitais de São Paulo).

Em momentos de crise financeira, de infraestrutura ou mesmo sanitária e de qualquer outro tipo, soluções digitais acabam se popularizando ainda mais. Isso se dá por vários motivos, mas especialmente graças à facilidade de iniciar um empreendimento na internet.

Um empreendedor ou autônomo pode investir muito menos do que no caso de uma loja física. É só pensarmos no tamanho dos gastos envolvidos em despesas como aluguel, seguro, água e luz, etc.

Claro, um e-commerce também tem seus custos, mas comparativamente eles se mostram bem menores. Além disso, as ferramentas e aplicativos de automação permitem economias em relação à folha de pagamento, facilitando ainda mais.

Contudo, nem tudo acontece da noite para o dia, ou de maneira tão fácil. Em si mesmo o e-commerce não tem nenhuma desvantagem, e trouxe um mercado mais democrático do que nunca. Só que isso também acaba gerando uma concorrência crescente.

Qual é a solução então? Não é diferente de antes da existência do comércio eletrônico: trata-se da necessidade de inovar sempre, de ter bom produto e bom atendimento, de criar uma cultura bacana para sua marca e sempre ouvir sua persona/público.

Mas tudo isso depende do pontapé inicial. Então, se você quer compreender mais as melhores dicas para abrir um e-commerce daqueles e crescer de modo sustentável, é só seguir com a gente na leitura.

LEIA TAMBÉM:  5 razões para sua empresa ter um canal no YouTube

Como estabelecer minhas prioridades?

Um ponto muito importante sobre investimento em e-commerce é o da seriedade. No fundo, mesmo que você invista menos em termos financeiros, você colocará ali o seu tempo, que é o que nós temos de mais precioso.

No caso, a dica importante aqui é justamente sobre o tempo investido. Afinal, seja para montar um marketplace milionário ou para anunciar seus serviços na área de instalação de portaria virtual, sua dedicação deverá ser a mesma, concorda?

O ponto é que tem muita gente que concorda mas, na prática, acaba fazendo diferente. Portanto, o problema é tratar seu negócio de comércio eletrônico como apenas um “bico”, ou como um mero hobbie.

Ele pode até dar certo com hobbie, se for o seu caso (para vender artigos de que você gosta, talvez artigo colecionáveis, por exemplo). Contudo, se você pensa em crescer e manter algo próspero, é preciso pensar com a cabeça de um empresário.

Também não se trata de jogar tudo para o alto e entrar em riscos enormes. Você pode conciliar seu e-commerce com outras frentes enquanto precisar de caixa, mas tenha em mente que seu novo negócio merece o melhor do seu tempo.

Assim, se você atua na área de empresa de consultoria organizacional, precisará de tempo para estudar seu segmento, compreender seu público e, claro, a sua concorrência.

Sem um empenho constante de otimizar seus processos, aumentar suas margens e compreender não apenas a clientela mas também o vizinho que faz o mesmo que você, como seria possível ter um negócio realmente promissor?

Saiba como escolher o melhor segmento

Muitas vezes a ideia de abrir um negócio digital já surge em função de um produto, um serviço ou uma solução qualquer. Mesmo quando isso acontece, é preciso pensar em um diferencial, em uma maneira de se destacar no meio da multidão.

Se você só quer abrir um negócio e qualquer nicho serve, pense muito bem antes de escolher algo, priorizando aquilo onde há dores que não estão sendo resolvidas. Agora se você já tem algo como um projeto de empresas de monitoramento ambiental, é diferente.

No segundo caso você precisa conhecer ainda melhor o seu mercado. E também precisa ser sincero consigo mesmo, pois não adianta se iludir pensando que você tem qualidades que, ou você não tem, ou não são uma exclusividade.

LEIA TAMBÉM:  Como fazer Marketing Digital para as Pequenas Empresas

O que isso quer dizer na prática? É bem simples: se você perceber que seu serviço é idêntico aos demais e não há como melhorar isso, invista no que é conhecido como “diferencial transversal”, ou seja, algo não diretamente ligado à solução.

Por exemplo, você pode investir melhor em pessoas e atendimento, ou ainda em preços e prazos, e com isso não apenas se estabelecer como referência no seu segmento, mas trazer resultados mais rápidos no curto prazo.

Outro ponto importante aqui é gostar do que faz. Se o seu sonho é, por exemplo, sair da empresa de engenharia de segurança do trabalho em que você ficou por muitos anos, considere levar consigo essa bagagem.

Portanto, não tente mudar demais em termos de colocação no mercado, pois é preciso que você entenda do seu nicho, mas especialmente que goste daquilo, pois quando os desafios chegarem esse pode ser o motivador principal para você se manter.

Como automatizar e racionalizar seu negócio

Se tem algo em que a internet se mostrou revolucionária foi o poder de automatização. Hoje existem sites, plataformas, aplicativos e vários softwares que são programados para tocarem vários elementos de um e-commerce.

Ainda assim, é claro que o trabalho humano é indispensável, e é aí que entra uma dica fundamental, que vale sobretudo para quem trabalha com produtos físicos, como no negócio de entregas ou logística em São Paulo.

Trata-se da terceirização de alguns aspectos do seu negócio. Não há nada de errado em utilizar espaços da sua própria casa para uma empresa que ainda está engatinhando, como uma edícula, parte da garagem ou do dormitório, mas seja autocrítico.

Às vezes o custo que você teria terceirizando parte da logística sairia mais em conta do que fazendo sacrifícios desnecessários. Pode ser que uma empresa de importação consiga reduzir seu desgaste e seu caminho para o sucesso e o crescimento exponencial.

Outro aspecto importante dessa dica é que você terá mais tempo e até mais energia para se dedicar a outras frentes, como a da expansão. Por isso, não permita que a correria ou mesmo bagunça do dia a dia tire sua visão de médio e longo prazo.

LEIA TAMBÉM:  Marketing Pago x SEO: Qual o melhor para minha empresa?

Onde entram o marketing e o conteúdo?

Lembra-se daquela época em que um site de vendas era apenas um aglomerado de páginas com fotos e legendas de vários produtos, onde o que importava eram o preço e o prazo? Pode esquecer, pois o mercado mudou bastante.

Seja para uma loja virtual, ou para qualquer outra modalidade de e-commerce, que vai de soluções em alimentação até traslado executivo, é preciso pensar em sua identidade verbal, na força da marca e na relação dela com o público.

Um dos maiores reforços que existem para isso é o do marketing de conteúdo. Hoje é preciso se comunicar constantemente com sua clientela ou clientes em potencial, por meio de conteúdos gratuitos que gerem valor para os interessados.

Pode parecer algo complicado demais, porém é bem fácil de entender: se você apenas anuncia produtos de academia, o resultado é um, mas e se você der dicas sobre como treinar? Seria bem mais bacana, com certeza.

Na prática, esse tipo de comunicação pode assumir os seguintes formatos:

  • Disparo de e-mails e newsletters;
  • Disparos de mensagens de celular;
  • Artigos e posts em blogs de conteúdo;
  • Vlogs, podcasts e áudios com dicas práticas;
  • E-books, infográficos e pesquisas.

Além do marketing de conteúdo, responsável pelo fortalecimento da marca e crescimento orgânico, é possível investir em estratégias mais agressivas. Um exemplo é o da prospecção ativa, como o link patrocinado nos grandes buscadores.

Nesse caso, quando o cliente procurar por empresas de frete internacional no Google, no Bing ou no Yahoo, conforme os anúncios que você fizer, ele vai encontrar seu e-commerce com mais evidência.

A dica fundamental aqui é você compreender o funcionamento dessas ferramentas, ou mesmo terceirizar o serviço. Afinal, há regras específicas que se você não seguir podem redundar em investimentos sem retorno, o que seria bastante frustrante.

Com isso vemos como abrir um e-commerce é cada vez mais acessível, ao mesmo tempo em que exige alguns esforços. Seguindo as dicas dadas acima, certamente sua marca crescerá mais rápido e de maneira mais sólida.

CURTIU? COMPARTILHE:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

RECEBA DICAS EXCLUSIVAS DO WORDPRESS

Aumentamos nosso tráfego em 6,197% com o WordPress

Junte-se a centenas de empreendedores que recebem nossa newsletter com dicas privilegiadas do WordPress!