5 Perguntas para fazer antes de Comprar na Black Friday

A Black Friday nasceu como uma data de megadescontos no varejo americano. Surgiu na década de 60, na última sexta-feira de novembro, logo após o feriado de Ação de Graças, ou “Thanksgiving”, em inglês.

Black Friday

Esta data dá início à temporada de compras de fim de ano, e que muitos se antecipava para compras de Natal. O nome está relacionado à expectativa dos empresários saírem do vermelho e lucrarem. Nos Estados Unidos, o vermelho também significa prejuízo, e em vez do azul usado no Brasil, eles utilizam o preto para relatar seus lucros. Em suas primeiras edições, a Black Friday era uma data com 24 horas de descontos fabulosos. Com o sucesso obtido e a credibilidade conquistada, transformou-se num período de vendas especiais, ou seja, uma semana cheia de promoções imperdíveis. Apesar dos preços, é considerada o melhor e mais lucrativo dia para o comércio, que adota políticas agressivas de descontos.

A Black Friday no Brasil

Cansei de procurar bons preços – Black Friday

É uma oportunidade de aumentar as vendas cobrando preços que não são encontrados nem em camelô. Na cultura brasileira, a busca por lucro, faz com que os comerciantes não vislumbrem oportunidades de renovar, de empreender e, principalmente, de conquistar novos clientes e fidelizar clientes eventuais.

Para quem trabalha com comércio, a Black Friday não é exatamente uma queima aleatória. É o momento de levar para vitrine o estoque e tudo que de mais novo há, sem deixar na obsolescência produtos que poderiam estar sendo usados por pessoas que não têm dinheiro para adquiri-los. Este ano, a Black Friday será no dia 23 de novembro. Não deixe de planejar essa data comemorativa com cuidado e, ainda se puder, amplie o tempo de duração para mais dias.

Agora você consumidor está preparado para Black Friday?

hum?

Busca por grandes descontos pode trazer problemas e grandes rsrsrsrsrsr e por isso selecionamos algumas perguntas para fazer antes de Comprar na Black Friday

1 – Faça uma priorização

Faça uma lista dos equipamentos que você realmente precisa comprar ou substituir e foque apenas neles. Não procure por novas ofertas que possam ser tentadoras.

2 – Tente pagar à vista

Na maioria das vezes, a melhor forma de pagamento é à vista. Além de ficar livre de pendências ou dívidas, aumenta a possibilidade de barganhar ainda mais descontos na hora da compra.

3 – Cuidado com o cartão de crédito

Caso opte por financiar ou fazer uso do cartão de crédito, não extrapole o seu limite de compras, pois os juros do rotativo no Brasil são altíssimos. Lembre-se de que, no geral, a soma de todos os gastos financiados não deve ultrapassar 30% da sua renda líquida mensal. Caso contrário, estará mais propenso ao endividamento.

4 – Considere a utilidade

Antes de comprar, pense na utilidade daquele produto daqui a seis meses ou um ano. Se o objeto for ficar no canto da sala ou parado em qualquer cômodo da casa, é bem provável que ele não seja tão necessário quanto você imaginava.

5 – Questione-se

Por último, caso ainda haja dúvida, faça a você mesmo três perguntas básicas:  Eu preciso desse produto? Vou conseguir pagá-lo? É minha prioridade neste momento?

Curtiu? Deixe aqui seu comentário e visite também SEO para E-commerce: 5 dicas básicas

Texto com informações;
Sebrae SP e Proteste.org.br